quarta-feira, 27 de maio de 2009

Ibitipoca...NOS FOMOS!!!!



"o valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."

Thanius, em Lima Duarte, antes da subida. Dá uma olhada no que está debaixo do banco da kombi...só uma pequena fração!!!rsrsrs

Leandro e Hugo. Hora de colocar as bikes pra baixo e iniciar a subida.

Inicio com o pensamento lá em cima pra poder falar da nossa ida a Ibitipoca no último final de semana.
Precisava ser desse jeito porque realmente os momentos, as pessoas, tudo foi incomparável.
Foram meses de preparação, muitos e-mails trocados, bastante confusão e indecisão, algumas baixas muito sentidas (Gabi, Claudinha, Flavio) mas enfim aconteceu. 
Partimos do posto de gasolina do Parque da Lajinha por volta de 11h (estava marcado para as 9 e meia...tsc,tsc) mas foi um atraso justificado: O Filippe tinha ido passar a escritura do apê que comprou pra futuramente morar com a Fernanda, e fazer muitos churrascos e tomarmos muitas geladas juntos!
Chegamos em Lima Duarte e nos preparamos para a subida. Mochilas devidamente acomodadas nos carros que iriam subir, além de cervejas, carnes, vinhos, champagnes, e otras cositas mas, e fomos nós, de encontro às terríveis subidas, verdadeiros paredões, que separam a civilização agitada, do sossego e da higiene mental que é Conceição de Ibitipoca.

Iniciamos a subida. Vale dizer que os primeiros 15 km são mamata. Vc acaba desconfiando de que há algo errado e que esse negócio de subidão é conversa fiada. Afinal, são apenas 28 km até o Arraial, e se ja vencemos 15 km de forma fácil, o resto seria moleza...ledo engano!!!

No meio do caminho, ainda dentro dos 15 primeiros km, uma surpresa: Duas onças loiras! Ou seriam 3? (observe que na parede atrás há mais uma). Ufa! nada disso, são apenas Fernanda e Adélia vestidas a caráter. E olha que a gente queria ver o lobo Guará!!!

Passados os 15 km iniciais começou a pedreira. São apenas 3 fortes subidas, mas que faz a gente pensar mil vezes o que é que estou fazendo aqui???
As subidas são tão íngrimes, que aqueles que aguentam subir pedalando dão uma pedalada e andam alguns centímetros, com a bike quase em velocidade zero. 

Cris, depois de heroicamente subir boa parte do "paredão" que antecede a Cruz das Almas.
Note que lá atrás ainda vem gente, e empurrando as bikes, claro. Nesta subida vários carros ficam pra trás...imagina só!! Essas meninas são feras mesmo!

Eu consegui subir o primeiro paredão todo no pedal, e um terço do Cruz das Almas, mas depois tive que empurrar...não é coisa de Deus.
Em tempo: Thanius, Filippe, Hugo e Leandro subiram tudo no pedal. Parabéns moçada.

No meio do caminho, antes da última subida uma parada pra tomar uma água, emendar a corrente da bike do Jainer que arrebentou, e tirar algumas fotos:

Antes do último paredão (Cruz das Almas). Saca só a placa...desanimadora!!!

Acreditem. A Cris e a Elaine sorriram para eu bater esta foto!!! (plantinhas)

Parte da turma. Jainer, Elaine, Mauro (lá atrás) eu, Cris, Leandro e Hugo. Faltaram Filippe, Thanius e Thales.

Filippe e a corrente do Jainer

Leandro e as meninas sem roupas. (todo mundo prendendo a respiração pra não mostrar as barriguinhas...he,he,he.)

Vencidas as subidas chegamos em Conceição de Ibitipoca. Fomos direto para o meio da muvuca, e não podia ser outro lugar senão os barzinhos próximos da padaria Ibitipão, e do famoso barzinho Ibitilua. Ali comemos de torresmo a escondidinho, bebemos de água a cerveja. 

Eu, Thales e Thanius em frente ao Ibitilua.

   Eu (não estava tanto calor, mas arregacei as mangas pra mostrar a tattoo, he,he,he!

A turma se esbaldando nas comilanças e beberranças

Depois da chegada triunfal e de tomar algumas e comer outras tantas, fomos pra casa que alugamos preparar o churrasco, que prometia. Enquanto isso uma parte da turma foi pra pousada se preparar.
Ainda havia uns 3 km de subida de bike até chegar na casa que fica na Tapera, nada mais nada menos que o melhor lugar pra se ver o pôr do sol em Ibitipoca, e a nossa casa fica de frente pro vale, sem nada na frente, nenhum sinal de civilização. Show demais. A propósito, muitas fotos foram tiradas com a máquina do Thanius e eu ainda não peguei. Depois eu coloco aqui.

Começou o churrasco, começou a festa, e o Thanius deu uma palhinha no violão.

Adelia (Leandro), Cris, Elaine, Adelia (Jainer), Sara e Fernanda. Aquela morena lá de trás eu não sei o nome. (certamente eu fui apresentado, mas minha memoria etílica não permite lembrar)

Bocão (Êta cara divertido, e vai beber assim la em Ibiti!!!!) Jainer e sua Adelia.

Leandro tocou violão a noite inteira, sem descanso, dando brilho a nossa festa. Valeu guerreiro.

A encantadora amiga Elaine

A festa rolou ate 4 da manhã. Cantamos, bebemos, brincamos, churrascamos, cantamos de novo, bebemos de novo, comemoramos, rimos, tudo isso debaixo de uma noite estupidamente estrelada. Um clima gostoso de friozinho da montanha, e um calor humano dificil de explicar, so sentindo.

Eu, churrascando claro!

Parte da turma de novo

A turma toda reunida...ficou um pouquinho escuro sim, mas tb vc quer o que? É Ibitipoca gente!!!

The day after

Este foi o cenário do dia seguinte. O Thanius e claro, a ressaca. Mas olha so o visual. Vale a pena ou não?

Thales, e de novo o visual. Esta é a frente da casa, um deck, que dá pra um imenso mar verde. Vc não consegue ver o fim...inexplicável!

Parte da turma reunida pra vir embora...snif

O carro do Mauro que furou o cárter e vazou o óleo...tá achando que é moleza? Se nem os carros aguentam a gente é herói mesmo!!!

...AINDA NÃO TERMINEI DE BLOGAR. ESTOU TERMINANDO AOS POUCOS. SÃO 00:17 E ESTOU AQUI NO BLOG

Um comentário:

off road disse...

show este passeio de vcs. aquela placa é desanimadora heim. parabens pela garra nas meninas do grupo não é pra qualquer um subir para ibitipoca. a turma parece ser bem animada

grande abraço e boas pedaladas